imagem noticia

Crise — Ministro de Minas e Energia modera no tom, mas reconhece divergência com presidente da Petrobras

03/04/2024 - Jornal o Poder

imagem noticia


Comentado em reservado em muitos gabinetes de Brasília e minimizado várias vezes por representantes do Governo e parlamentares, o desgaste entre o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, e o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, agora é oficial — e tem repercutido desde o início da semana. Hoje (03/04), o ministro colocou ainda mais lenha na fogueira ao reconhecer, durante entrevista, que existe, sim, um conflito entre seu papel e o do presidente da Petrobras. Apesar disso, Silveira disse que as divergências são "salutares e não pessoais".

Papeis diferentes

"Sempre tive debates acalorados, verdadeiros. Mas debates transparentes sobre o que eu, como governo, defendo na Petrobras. E o presidente da Petrobras, naturalmente, faz a defesa dele como presidente de uma empresa. Os papéis são diferentes, por isso há um conflito", afirmou.

Destinação de dividendos

Uma das divergências recentes foi na destinação de dividendos da Petrobras aos acionistas. Prates defendia distribuir 50% dos recursos extraordinários, mas Silveira e o conselho da companhia discordaram diante de discussões sobre o fôlego da estatal para investimentos —inclusive em energia limpa. A decisão final de reter os recursos na empresa causou reação de investidores na bolsa e tirou bilhões em valor de mercado da companhia.

"Marola"

Hoje, o ministro comparou o episódio a "uma marola ou ao barulho causado por biscoitos de polvilho". E assegurou que "não há pressa para voltar a discutir o tema". Ele também se esquivou de responder a perguntas feitas por jornalistas sobre se achava que Prates estaria fazendo uma boa gestão na Petrobras. Limitou-se a afirmar, de modo institucional, que "a diretoria da Petrobras deve ser sempre respeitada".

Autoridade

Silveira afirmou, ainda, que a Petrobras será a empresa mais valorizada na Bolsa durante o terceiro mandato de Lula e que não faz questão de indicar nomes para a estatal. Por outro lado, ele não abre mão de sua autoridade nas discussões. "O dia em que você abre mão por um segundo da sua autoridade você nunca mais recupera. Então, a autoridade que me é delegada —e autoridade não é arrogância— eu não transigirei em executar".

Deseja receber O PODER e artigos como esse no seu zap ? CLIQUE AQUI.

Confira mais notícias

a

Contato

facebook instagram
Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso site.
Ao utilizar nosso site e suas ferramentas, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Jornal O Poder - Política de Privacidade

Esta política estabelece como ocorre o tratamento dos dados pessoais dos visitantes dos sites dos projetos gerenciados pela Jornal O Poder.

As informações coletadas de usuários ao preencher formulários inclusos neste site serão utilizadas apenas para fins de comunicação de nossas ações.

O presente site utiliza a tecnologia de cookies, através dos quais não é possível identificar diretamente o usuário. Entretanto, a partir deles é possível saber informações mais generalizadas, como geolocalização, navegador utilizado e se o acesso é por desktop ou mobile, além de identificar outras informações sobre hábitos de navegação.

O usuário tem direito a obter, em relação aos dados tratados pelo nosso site, a qualquer momento, a confirmação do armazenamento desses dados.

O consentimento do usuário titular dos dados será fornecido através do próprio site e seus formulários preenchidos.

De acordo com os termos estabelecidos nesta política, a Jornal O Poder não divulgará dados pessoais.

Com o objetivo de garantir maior proteção das informações pessoais que estão no banco de dados, a Jornal O Poder implementa medidas contra ameaças físicas e técnicas, a fim de proteger todas as informações pessoais para evitar uso e divulgação não autorizados.

fechar